segunda-feira, 7 de abril de 2014

Sobre a importância da real beleza e bem estar

Estamos vivendo uma época muito mais próxima das verdades humanas. Questionamos tudo, assim como as crianças, temos acesso a veracidade das informações que precisamos. Não nos sentimos mais limitados em nossas capacidades, para quem luta sempre há espaço. Estamos mais firmes, tentando fazer valer nossas experiências e acreditando no respeito que merecemos. Estamos cansados de tanta mentira, ilusão e soberba desnecessária, reconhecemos no outro esta busca desenfreada pela auto afirmação.
Com todo esse despertar nos damos conta da real importância das coisas, dos detalhes e até mesmo dos problemas que tanto nos incomodam de tempos em tempos. Há situações em que precisamos jogar a toalha e ver que não podemos controlar. Buscamos um sentido e criamos a meta que nos levará a concretização de nossos sonhos.


 Durante este caminho que parece as vezes tão distante da realidade do cotidiano, usamos ferramentas sociais que facilitam nosso ir e vir nessa matrix, que é determinada por nossas relações com o mundo ao nosso redor. A matrix é uma dimensão material, de sentidos, aparência e preocupações. A mente se fortalece com isso e nos lança nesse jogo, muitas vezes nos impedindo de ter acesso ao mundo real, que é o seu interior, fazendo com que nos sintamos inferiores por não termos isto e aquilo ou por não sermos o que esperam que sejamos. Não deveríamos nos importar tanto com isso, nem exigir isso dos outros.
Quanto ao seu interior, não vamos confundir com ego. O ego é criatura da mente. Não podemos dizer que não há necessidade de viver na matrix, pois reconhecemos a sua genialidade e sua bestialidade ao encontrarmos com o outro lado. É possível manter um equilíbrio saudável tendo ao menos a noção dessa ponte, e que podemos percorrer ela conforme nossa simples vontade. Sentir a vida através dos sentidos e também através do vazio, do não tempo.
Então perguntamos o por que de tanta coisa que acontece, boa, ruim, surpreendente...essa é a magia. Não precisamos compreender, apenas deixar fluir. Somos janelas ,a maioria so para o lado de fora. Olhemos para dentro. Usemos os sentidos para espalhar o que é bom, para sentir a vida ao respirar, ao sentir a presença de alguém por um perfume, por sua luz, sua voz, seu toque...
Não é preciso rejeitar a matéria para sermos felizes, podemos usar o que gostamos, comprar o que achamos que merecemos e merecemos o melhor. Não se abdique do que é bom na vida, desfrute da melhor maneira justamente por ter esta sorte, e ajude sempre que sentir vontade, fazendo ao outro o bem que gostaria de receber também. Não se sinta impotente, nem desamparado, você tem muitas escolhas boas a fazer para se entregar e justificar-se. Faça o que for para se sentir bem sem prejudicar outra pessoa, use as ferramentas que tem aqui pra dar um empurrão no astral, mas não se apegue com esse momento, pois ele é passageiro, viva-o intensamente, deixe-o ir mas não se perca de si, sua beleza existe e é única, de dentro pra fora, é a manifestação do seu universo interior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Endereço

Endereço